quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Armas


Como uma tristeza,
de repente, do nada...
Lembrei das bombas jogadas,
dos obscuros alvos, da vileza...

Daí levantei os olhos,
e no horizonte: Estrelas,
e o Sol, núvens, Abelhas,
e o que mais de lindo escolho,

(que a vida prometeu sonhos)!
E mais eterna que a bala,
e que o míssil, é a fala!

Esta que na Poesia me ponho,
e nos tiro sem dar tiros de dor,
que a Paz é nossa arma maior!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Da Aurora do Dia do Conhecimento


Imagine alguém cego
até a idade de cinquenta anos,
que num instante tire os panos,
e possa ver do prédio ao prego,

da semente miúda
à Samaúma crescida,
do Amor de cada vida,
à Sinfonia das estrelas mudas...

Pois é esta a sensação,
de criança, de apreender,
se abrir, ouvir, de repente ver,

que decorre de olhar com atenção,
de que cantaram Gregos e autores,
Renatos, Heraclitos, cantores...

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Do som do Sol


Uma sombra de som
se projetou pelo vento,
e um assobio sonolento
e distante, e tão bom,

e tão mergulhado em si,
que se fez de caminhos,
ganhou força em redemoinhos,
e se coloriu de porvir...

Assim, este dia nasce,
como a sombra na Aurora,
como estranha cor que chora

e se ri enquanto floresce,
ouvindo o Sol, que raia,
na cor do som do mar na praia..

domingo, 15 de outubro de 2017

Roupas


As nossas roupas,
cultura que nos cobre,
agasalham e socorrem,
as vezes escondem e poupam,

das alegrias do corpo,
das eternidades das gentes,
inventadas cotidianamente,
acertadas nos muitos e poucos...

Assim, nossa invenção
que permitiu caminhos,
onde o frio fazia espinhos,

virou uma quase prisão,
e nossa forma ganhou jeitos
onde estranhamente somos desfeitos...

sábado, 14 de outubro de 2017

Pra sempre


Milhares de vezes
alguém me lembrará
do mal que alguém fará,
mas que acontece as vezes...


As vezes, entende?
É pra todos, e cada,
subir, ou descer de escada,
a alguém surpreende...

Mas antes e perpetuamente,
o vento tem cheiro bom,
e o Sabiá no escuro cantou,

e em tudo continuamente,
minha vida se renovou,
e eclodirá pra sempre...

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Rir a toa



A um tempo, a lida
mostra estradas abertas,
rumos e levezas certas,
e incertas, feito a vida...


Por caminhar, e esperar
alguém se encontra,
consigo e com as pontas,
com os amigos de andar,

com as belezas vistas,
o alimento, os arbustos,
as florestas e seus matutos,


as cidades de gente egoísta,
as comunidades de gente boa,
onde a Alegria ri a toa...

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Deste dia de Mãe...




Uma mãe se fez ao rio,
pra nos salvar a todos,
salvar seu filho, e outros
filhos que seguimos no navio...

E o rio nos deu a mãe,
e o alimento feito peixe,
pra que, saciados, a gente deite,
pra podermos despertar além...

A maternidade aquosa,
da mãe do Rio Paraíba,
nos salva e re-vitaliza

por sua natureza generosa...
E, apesar da pista perdida,
vivemos porque ainda há Água da vida...